Artista Selecionados

Héctor Ariel Olguin

A series of 30 embroidered drawings that seek to share the experience of the ritual of death by sacrifice.

On 2019, during a stay in Mexico, I witnessed the way whose death is approached by Mexicans through religious syncretism. For the population (even at the time of announcing the loss of a loved one), the death is still an experience to celebrate.

During my journey from city to village, the practice of human sacrifice dating back to pre-Hispanic times called out to me. The killing was then perceived by the sacrificed as necessary to maintain the balance of the cosmos. Nowadays, this practice continues metaphorically in the course of popular festivals where masks, dolls and dances tell the story of these ancestral beliefs. Popular and academic transmission participate also to the conservation of these traditions.

In my project, I want to exploit and transform this history in a new way.

Anthropological character in fiction. I intend to convey my experience through a scenario, the idea is to approach the collective imaginary through a scenario.

Through my observation and perception, to transcribe it under a fictional form from my imagination.

Uma série de 30 desenhos bordados que procuram partilhar a experiência do ritual da morte pelo sacrifício.

Em 2019, durante uma estadia no México, testemunhei a forma como os mexicanos abordam a morte através do sincretismo religioso. Para a população (mesmo na hora de anunciar a perda de um ente querido), a morte ainda é uma experiência a celebrar.

Durante a minha viagem de cidade em vila, a prática do sacrifício humano, que remonta aos tempos pré-hispánicos chamou-me a atenção. O assassinato era então percebido pelo sacrificado como necessário para manter o equilíbrio do cosmos. Nos dias de hoje, esta prática continua metaforicamente no decorrer das festas populares onde as máscaras, os bonecos e as danças contam a história dessas crenças ancestrais. A transmissão popular e académica participam também na conservação dessas tradições.

No meu projeto, quero explorar e transformar esta história de uma nova forma.

Personagem antropológica de ficção. Pretendo transmitir a minha experiência através de um cenário, a ideia é abordar o imaginário coletivo através de um cenário.

Através da minha observação e perceção, para transcrevê-lo sob uma forma ficcional que parte da minha imaginação.

Héctor Ariel Olguin

França / France

b.1970, Santiago de Chile, Chile.

Self-educated. Lives in Paris, France.

n.1970, Santiago de Chile, Chile.

Autodidata. Vive em Paris, França.