Artista Selecionados

Marrit Veenstra

I have always felt respect for old materials. These noble and high quality materials tell us stories, they breathe our past, show us lost techniques and knowledge we have forgotten. This part of the series “Chiffons Habités” (Inhabited cloths) shows embroidery with beads on used and repaired cloth. Repaired cloths sometimes hold bad memories for elderly people, recalling periods of poverty when conditions of life were tough and where mending was a real necessity. For others it can evoke good memories of their beloved grandmother darning socks for the family. A few people do still repair sheets, but times have changed, people now throw everything away when it’s used or no longer “in fashion”.
Through my cloths I show our history and what we have become today: a consumption based society. I find it important to tell new generations where we come from and hope they realize by connecting with the past, that the current global behaviour is maybe not a long term solution.
In this work, traces of the past become territory for new stories which I tell my way. A snow-covered landscape marked by erosion or a fragment of the Russian taiga: my conquerors of those territories settle down, for a while …

Sempre senti respeito por materiais antigos. Estes materiais nobres e de grande qualidade contam-nos histórias, respiram o nosso passado, mostram-nos técnicas perdidas e conhecimentos esquecidos. Esta parte da série “Chiffons Habités” (Panos Habitados) mostra bordados com missangas em tecido usado e reparado. Os panos restaurados às vezes guardam más lembranças para os idosos, relembrando períodos de pobreza, quando as condições de vida eram difíceis e onde remendar era uma necessidade real. Para outros, pode evocar boas memórias de sua amada avó cerzindo meias para a família. Algumas pessoas ainda remendam lençóis, mas os tempos mudaram, as pessoas agora deitam tudo fora quando está usado ou não está mais “na moda”.
Através dos meus panos mostro a nossa história e o que nos tornamos hoje: uma sociedade de consumo. Acho importante dizer às novas gerações de onde viemos e espero que percebam, ao se conectarem com o passado, que o comportamento global atual talvez não seja uma solução a longo prazo.
Nesta obra, vestígios do passado tornam-se território para novas histórias que conto à minha maneira. Uma paisagem coberta de neve marcada pela erosão ou um fragmento da taiga russa: os meus conquistadores desses territórios instalam-se, por um tempo …

Marrit Veenstra

França / France


b.1980, The Netherlands.
Finished graphic art school at the age of 20 in the Netherlands and continued her studies in architecture in France and the Netherlands.
Lives in Saint-Gervais-sous-Meymont, France.


n.1980, Holanda.
Terminou a escola de artes gráficas aos 20 anos na Holanda e continuou seus estudos em arquitetura em França e na Holanda. Vive em Saint-Gervais-sous-Meymont, França.